Criação de Mercado Comum do Brasil Central é tema de fórum de Brasília

Criação de Mercado Comum do Brasil Central é tema de fórum de Brasília

A discussão do plano de criação de um mercado comum do Brasil Central é a principal pauta do 12º Fórum de Governadores do Brasil Central, o sexto deste ano. O evento, realizado em Brasília, segue até esta sexta-feira (02/12), na Residência Oficial de Águas Claras, e conta com a presença de governadores e secretários dos Estados que compõem o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC). São eles: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins, além do Distrito Federal.

A ideia do fórum é pensar uma agenda de desenvolvimento para além da crise econômica pela qual o Brasil tem passado. “A concepção do consórcio, como foi idealizado pelo professor Mangabeira Unger, é que os Estados não fiquem tão dependentes da visão do governo federal sobre o desenvolvimento regional”, afirmou a secretária de planejamento do Distrito Federal, Leany Lemos.

A reunião desta sexta também confirma oficialmente o governador de Goiás, Marconi Perillo, como presidente BrC por mais um ano. No encontro, que teve início nesta quinta-feira (01/12), foi apresentado um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas com projeto detalhado que prevê a criação do mercado comum do Brasil Central já no ano que vem.

Para o secretário-executivo do Brc, Thiago Camargo, o momento ainda é de se fazer um balanço do último ano do consórcio e planejar as ações para o próximo. “Mesmo com pouco tempo de criação, já conseguimos avanços expressivos não só na área econômica, como também na segurança pública, educação, saúde e turismo”, comentou.

Projetos de inovação nas áreas de saúde e educação, compras públicas, turismo, meio-ambiente e extensão rural também estão sendo debatidos no fórum. Thiago acredita que o evento é uma grande oportunidade para os Estados compartilharem experiências e buscarem novas ideias. “Um novo modelo de licenciamento ambiental é, inclusive, uma das metas do consórcio”, destacou.