Gerente da Apex aponta ações que podem favorecer as empresas do Brasil Central

Gerente da Apex aponta ações que podem favorecer as empresas do Brasil Central

Em reunião com a gerência de exportações da agência, equipe técnica do Consórcio apresenta a Agenda Internacional e discute ações de cooperação

Prospectar ações de cooperação foi o principal tema discutido na reunião entre a equipe técnica do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central e a gerência de exportações da Agência Brasileira de Promoção de Exportação e Investimento (Apex-Brasil). A reunião ocorreu na sede da agência na tarde da última quarta-feira (11).
Durante o encontro, a Diretora de Planejamento e Portfólio de Projetos do BrC, Gilsa Costa, apresentou o Consórcio, todos os projetos em andamento e os que ainda não começaram a ser executados aos gerentes Igor Brandão e Christiano Braga, ao Supervisor de Agronegócio Laudemir Muller e ao Coordenador de Inteligência de Marcado Igor Celeste. Mas, o maior destaque da reunião foi para o projeto Estratégia Unificada de Exportação. A diretora destacou os dois grandes eixos do projeto que é a Agenda Internacional e a Diversificação da Pauta das Exportações.

Braga apresentou algumas ações que a agência já desenvolve em apoio aos produtores e investidores. Ele destacou o Programa de Qualificação para Exportação (PEIEX) (http://www.apexbrasil.com.br/qualifique-sua-empresa-peiex) que tem por objetivo estimular a competitividade e inserir a cultura exportadora, ajudando as empresas a se estruturarem para se inserirem no Comércio exterior. O programa oferece diagnóstico gratuito e aponta soluções para fortalecer e tornar as empresas mais competitivas.
O gerente também ressaltou que dentre as diversas ações e programas que a agência possui, ela tem um plano nacional de cultura das exportações que incentiva os produtores a exportar. Segundo Braga, todas essas ações podem ajudar os empresários da região.

Além disso, a equipe da Apex demonstrou que a agência tem muito interesse em ajudar e fazer parte do projeto do BrC, e destacaram a força que o Consórcio tem, não só pela dimensão física e populacional, mas também pelo poder de articulação e engajamento. A diretora do BrC ratificou que o bloco de fato tem força política e poder de negociação. Como exemplo, ela citou a convalidação dos benefícios fiscais, uma conquista que teve ação direta dos sete governadores do bloco.

Braga também lembrou da importância dos atores locais no incentivo às exportações e que o modelo de ranking e o mapa de oportunidades de exportações que a Apex oferece podem ser bons instrumentos para os entes federados trabalharem dentro dos seus territórios.
O gerente se comprometeu a fazer uma apresentação mais completa de todas as ações da agência que podem favorecer o projeto do Consórcio que visa aumentar a competitividade e as exportações do Brasil Central. Ao mesmo tempo, ele colocou a agência a disposição para que os membros do bloco tirem dúvidas sobre as iniciativas da Apex.