Governador e Conselheiros de MS discutem o futuro do Consórcio Brasil Central

Governador e Conselheiros de MS discutem o futuro do Consórcio Brasil Central

Programas, projetos e ações do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC) para os próximos anos são as principais pautas da reunião que ocorre na tarde de hoje (30) em Campo Grande. Participam do encontro o Governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, o Conselheiro do Brc e Secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), Eduardo Riedel, o Conselheiro Suplente e Secretário-adjunto da Segov, Jader Afonso, o Secretário Executivo do BrC, Leonardo Jayme, e a Diretora de Planejamento e Portfólio de Projetos, Gilsa Costa.

Ao longo do mês de dezembro, a secretaria executiva pretende realizar encontros com todos os chefes de Estado do bloco antes da realização do próximo Fórum de Governadores do Brasil Central. O objetivo dessas reuniões é relatar as ações necessárias para dar continuidade aos projetos e programas que estão em desenvolvimento e os atuais desafios a serem superados para alcançar o objetivo de promover a competitividade e o desenvolvimento econômico e social da região.

União para o desenvolvimento

Formado por Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia e Tocantins, o Consórcio foi formado há 3 anos com o objetivo de tornar a região mais competitiva por meio de ações cooperadas. Atualmente, o bloco trabalha com uma carteira com mais de 10 projetos em diversas áreas, como saúde, educação, segurança, gestão pública, infraestrutura e logística, agenda internacional, diversificação da pauta exportadora, turismo, assistência técnica rural, dentre outras.

Fórum de Governadores: debates e eleição

Durante a próxima edição do Fórum irá acontecer a eleição para eleger o terceiro presidente do BrC. Segundo a lei constituinte e o estatuto do bloco, cada membro da Assembleia Geral, formada pelos Governadores de cada ente consorciado, tem direito a um voto. O presidente é escolhido por maioria absoluta de votos. Qualquer membro a Assembleia pode se candidatar.