Consórcio Brasil Central busca parceria com a ONU para realizar compra de medicamentos de alto custo

Consórcio Brasil Central busca parceria com a ONU para realizar compra de medicamentos de alto custo

Para consultor, o projeto pode oferecer economia e oportunidade de melhorar a gestão dos processos de compra e armazenamento dos estados

Conseguir oferecer a população bons serviços e qualidade de vida diante da escassez de recursos financeiros é um dos principais desafios que grande parte das Unidades Federativas do país enfrentam. Na tentativa de desenvolver soluções para a otimização de recursos, o Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (BrC) busca parceria com Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) para desenvolver um programa de compras compartilhadas que possibilite a aquisição de diversos itens importantes para a região. O escritório faz parte da Organização das Nações Unidas (ONU).

Durante a tarde da última terça-feira (26), o Coordenador de Estudos, Planejamento e Projetos do BrC, Ney Pinheiro, juntamente com membros do escritório de projetos do Consórcio, se reuniu com a representante do UNOPS no Brasil, Claudia Valenzuela, com o Assistente de Projeto Pedro Fontoura, com o oficial de projetos Bernardo Bahia e com o consultor e farmacêutico Suetônio Queiroz. O objetivo do encontro foi alinhar diretrizes para que as duas instituições desenvolvam uma proposta de cooperação para a execução do programa.

Com atuação nas áreas de Gerenciamento de Projetos, Compras Sustentáveis, Infraestrutura, Gestão Financeira e Recursos Humanos, o UNOPS está disposto a contribuir com conhecimento técnico para o projeto do BrC. “Queremos ajudar o governo a comprar melhor”, afirmou Cláudia Valenzuela.

A partir do programa de compras compartilhadas, o BrC busca implementar o projeto de Compra Compartilhada de Medicamentos de Alto Custo, iniciado em 2017. Com a meta inicial de comprar 130 tipos de fármacos, cerca de 80% desses destinados ao tratamento de câncer, o projeto busca gerar uma economia aos membros do Consórcio por meio da aquisição em escala.

Experiente em prestar assessoria na área de gestão farmacêutica, Suetônio Queiroz afirma que a compra de medicamentos é uma demanda urgente no cotidiano dos estados. Muitas das Unidades Federativas têm problemas com desabastecimento que trazem prejuízos a vida dos cidadãos e aos governos. O farmacêutico acredita que o projeto do Consórcio, além da economia, oferece uma oportunidade de melhorar a capacidade de gestão de processos de aquisição e gerenciamento dos fármacos. Para o consultor, o BrC oferece aos membros a possibilidade de enxugar administrativamente e de tornar o processo mais ágil.

O encontro foi apenas o início das negociações. As instituições se comprometeram a fazer reuniões regulares ao longo do mês de março para delimitar melhor o escopo do projeto e dos detalhes da possível cooperação.

O Consórcio Brasil Central

Formado pelo Distrito Federal e pelos estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Tocantins e Rondônia, o BrC tem por objetivo promover o desenvolvimento econômico e social da região por meio de ações e projetos que atuem em áreas estratégicas para as Unidades Federativas.